Carreira

O que aprendemos com os mais novos?

Caso você tenha nascido antes de 1982, pertence às gerações que cresceram condicionadas à ideia de que o trabalho estaria vinculado a um emprego, numa única profissão e, sempre que possível, desenvolvido em pouquíssimas empresas, idealmente numa só. Lembro-me de minha mãe dizendo que “o homem precisa se fazer até os quarenta anos” e garanto que todos de minha geração ou anteriores tenham histórias similares a contar. Diversos millennials certamente também já ouviram semelhante ladainha de seus pais e avós. Afinal, para estas gerações, o sucesso significava uma carreira conquistada com algum trabalho e muito sacrifício.

Mas os jovens nos ensinam que a vida pode ser diferente. Um fiel representante da geração Y (a dos millennials) ou da seguinte, a geração Z (também conhecida como iGeneration), que estará no mercado em breve, trabalha com a perspectiva de que a causa ou o projeto para o qual esteja se dedicando deve lhe fazer algum sentido. E que não há espaço somente para o emprego, mas para oportunidades de trabalho a desenvolver, seja para uma empresa, pessoa ou entidade do terceiro setor.

Por que aqueles que hoje já passaram dos 40 anos não agem da mesma maneira? Sei que é difícil mudar uma crença, mas tudo é possível quando se cria um espaço interior que permita incluir novas formas de olhar para a vida.

Num mundo cada vez mais globalizado e com novas caraterísticas, que tal aprender que é possível criar uma nova história ou simplesmente ajustar a atual de uma forma mais próxima de seus valores atuais. Afinal, quais são seus desejos, interesses, aptidões que podem ser colocados a serviço de outros na mesma intensidade que lhe conectam ao mundo?

Conheço pessoas que, aos cinquenta anos ou mais, buscaram uma nova carreira a partir de um novo curso de graduação. Outros que partiram para empreender ou para a vida acadêmica.

Busque algo que lhe seja legítimo e comece a contar uma nova história, na qual você poderá se inspirar a partir de algum sonho ou desejo que foi deixado de lado há um bom tempo.

As mudanças não devem ocorrer somente em momentos de dificuldade. Não faz sentido esperar que um problema num relacionamento, uma doença ou o desemprego lhe faça pensar que as coisas poderiam ser realizadas de uma forma diferente. Planeje-se e saia em busca de seus sonhos, mesmo que dentro da empresa na qual você esteja trabalhando. Assuma a condição de protagonista de sua carreira. Encontre seu sonho, envolva-se com ele e torne-o o seu projeto, criando um novo rumo para a sua história.

Use a experiência adquirida, seja flexível e resiliente, de forma a se planejar e seguir adiante com seus planos. Empreenda a si próprio, definindo seu propósito, missão e visão de futuro.

Caso tenha receio em empreender, há vários programas de “trainee experiente” no Brasil e no exterior, como o do jornal Folha de S. Paulo, cujos candidatos devem ser profissionais de qualquer área do conhecimento com mais de 40 anos e fluência em inglês. Um exemplo para que outras empresas façam o mesmo e que os profissionais percebam que as mudanças podem ocorrem em qualquer momento da vida.

Renove-se periodicamente e ponha paixão naquilo que você faz.

Padrão